#literaturacontemporanea Instagram Photos & Videos

literaturacontemporanea - 7.4k posts

Top Posts

  • Meu ano de leituras começou já me arrasando. O dia primeiro de janeiro acabou e eu estava no chão com O peso do pássaro morto da Aline Bei (@alinebei)

Ao longo do ano passado já tinha visto várias resenhas e esse livro já estava no meu radar. Então não pude perder a oportunidade de pegar emprestado com uma amiga.

Nessa história a gente acompanha a vida de uma mulher, dos 8 até os 52 anos. É narrado em primeira pessoa, parece que estamos lendo seus diários. E a autora vai mostrando o crescimento da personagem também através das mudanças na sua forma de escrever. As primeiras páginas são bem mais ingênuas e a medida que a vida vai passando, vai ficando tudo mais cru.

A personagem não tem nome. A história dela pode ser a história de vida de qualquer mulher, pode ser alguém que você conheça. Pode ser você.

A escrita é muito poética ao longo de todo o livro. É como se fossem poemas que nos contam uma história. E a leitura flui bem, terminei em apenas um dia.

Mas é uma história pesada, que fala de perda, luto, sofrimento, joga na nossa cara que nada é para sempre. Mas também mostra superação, resistência e aprendizados. Mostra que aquilo que menos esperamos pode ser o que vai mudar a vida para melhor.

Foi uma experiência intensa. E acho que até hoje ainda estou presa a essa leitura. Vira e mexe me pego pensando nela.

Recomendo fortemente a todos! Ah, ele está disponível no Kindle unlimited também.

E aí, quem já teve a oportunidade de ler? Ficaram com vontade de ler?

#opesodopassaromorto
#alinebei #literaturabrasileira
#leiamaisnacionais #autorasnacionais #literaturacontemporanea #literaturabrasileiracontemporanea #instagramliterario #welovebooks #booksandbooks ~Tainá
  • Meu ano de leituras começou já me arrasando. O dia primeiro de janeiro acabou e eu estava no chão com O peso do pássaro morto da Aline Bei (@alinebei)

    Ao longo do ano passado já tinha visto várias resenhas e esse livro já estava no meu radar. Então não pude perder a oportunidade de pegar emprestado com uma amiga.

    Nessa história a gente acompanha a vida de uma mulher, dos 8 até os 52 anos. É narrado em primeira pessoa, parece que estamos lendo seus diários. E a autora vai mostrando o crescimento da personagem também através das mudanças na sua forma de escrever. As primeiras páginas são bem mais ingênuas e a medida que a vida vai passando, vai ficando tudo mais cru.

    A personagem não tem nome. A história dela pode ser a história de vida de qualquer mulher, pode ser alguém que você conheça. Pode ser você.

    A escrita é muito poética ao longo de todo o livro. É como se fossem poemas que nos contam uma história. E a leitura flui bem, terminei em apenas um dia.

    Mas é uma história pesada, que fala de perda, luto, sofrimento, joga na nossa cara que nada é para sempre. Mas também mostra superação, resistência e aprendizados. Mostra que aquilo que menos esperamos pode ser o que vai mudar a vida para melhor.

    Foi uma experiência intensa. E acho que até hoje ainda estou presa a essa leitura. Vira e mexe me pego pensando nela.

    Recomendo fortemente a todos! Ah, ele está disponível no Kindle unlimited também.

    E aí, quem já teve a oportunidade de ler? Ficaram com vontade de ler?

    #opesodopassaromorto
    #alinebei #literaturabrasileira
    #leiamaisnacionais #autorasnacionais #literaturacontemporanea #literaturabrasileiracontemporanea #instagramliterario #welovebooks #booksandbooks ~Tainá
  • 594 7 17 hours ago
  • Recebi do querido Marcos Severo @marcosevero81 seu três livros de contos.
.
Todos foram publicados pela @editoramoinhos e ja me conquistaram pelos titulos! Olha só:
.
- Todo Naufrágio é também um Lugar de Chegada
- Cada Forma de Ausência é o Retrato de uma Solidão
- Coisas que Acontecem se Você estiver Vivo
.
Ano passado o autor esteve aqui em Brasilia e conseguimos nos encontrar. Marco é professor formado em Letras pela Universidade Federal do Ceará. Tem contos publicados no Brasil e no exterior. E é meu amigo ❤.
.
Bora ler nossos escritores nacionais contemporâneos, galera! Tem muita coisa boa legal por ai! Você só precisa dar uma chance 😉❤.
.
#lidolendo #euamoler #isavichi #livros #books #instalivros #instabooks #leitura #literatura #literaturanacional #literaturacontemporanea #marcosevero
  • Recebi do querido Marcos Severo @marcosevero81 seu três livros de contos.
    .
    Todos foram publicados pela @editoramoinhos e ja me conquistaram pelos titulos! Olha só:
    .
    - Todo Naufrágio é também um Lugar de Chegada
    - Cada Forma de Ausência é o Retrato de uma Solidão
    - Coisas que Acontecem se Você estiver Vivo
    .
    Ano passado o autor esteve aqui em Brasilia e conseguimos nos encontrar. Marco é professor formado em Letras pela Universidade Federal do Ceará. Tem contos publicados no Brasil e no exterior. E é meu amigo ❤.
    .
    Bora ler nossos escritores nacionais contemporâneos, galera! Tem muita coisa boa legal por ai! Você só precisa dar uma chance 😉❤.
    .
    #lidolendo #euamoler #isavichi #livros #books #instalivros #instabooks #leitura #literatura #literaturanacional #literaturacontemporanea #marcosevero
  • 273 6 4 hours ago
  • 📖 "Existe algo mais íntimo para exibir ao mundo do que as entranhas? Existe algo mais obsceno?"
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
{#UEDLResenha} • Eu receberia as piores notícias dos seus lindos lábios | Marçal Aquino | 5 🌟 ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Me digam um título de livro mais bonito que esse e falhem miseravelmente.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Em "Eu receberia as piores notícias dos seus lindos lábios" nós conheceremos o Cauby, um fotógrafo que está passando uma temporada numa cidade de garimpo no Pará, onde ele encontrará a mulher da sua vida.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Ele irá narrar a sua história de amor (ou eu diria a sua tragédia?) por uma jovem muito bela, chamada Lavínia. Só que temos um problema nessa história; Lavínia é casada... com o pastor da cidade. Achou pouco? Digamos que ela é a mulher mais complexa e completa já escrita. Uma hora a bela, recatada, e do lar, outrora... só lendo para saber. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Com uma escrita poética, e com uma narrativa não-linear (pois o Cauby alterna entre passado e presente, a narrativa não é cronológica, e sim psicológica). Marçal Aquino trará o amor na sua forma mais verdadeira e trágica. Com elementos que tornam a narrativa ainda mais interessante e complexa, como um brilhante filósofo especialista no amor que o Cauby tanto menciona (criado pelo próprio autor). ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
📖 "Queremos o que não podemos ter, diz o professor Schianberg, o mais obscuro dos filósofos do amor. É normal, saudável. O que diferencia uma pessoa de outra, ele acrescenta, é o quanto cada um quer o que não pode ter."
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Vale ressaltar que paralela a história dos nossos protagonistas teremos narrativas importantes sendo desenvolvidas, com personagens típicos de interior, que muitas vezes baseiam suas ações em nome do amor (não disse ao quê rs).
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Um dos livros mais bem escritos e geniais que eu li, Marçal tem umas sacadas e umas situações tão irônicas que não me deixou outra opção a não ser dar 5 estrelas. E lembre-se: toda história tem dois lados.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
⚠ O livro contém cenas de sexo explícitas, violência, consumo de drogas, e alguns gatilhos, como abusos sexuais.
  • 📖 "Existe algo mais íntimo para exibir ao mundo do que as entranhas? Existe algo mais obsceno?"
    ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
    { #UEDLResenha } • Eu receberia as piores notícias dos seus lindos lábios | Marçal Aquino | 5 🌟 ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
    Me digam um título de livro mais bonito que esse e falhem miseravelmente.
    ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
    Em "Eu receberia as piores notícias dos seus lindos lábios" nós conheceremos o Cauby, um fotógrafo que está passando uma temporada numa cidade de garimpo no Pará, onde ele encontrará a mulher da sua vida.
    ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
    Ele irá narrar a sua história de amor (ou eu diria a sua tragédia?) por uma jovem muito bela, chamada Lavínia. Só que temos um problema nessa história; Lavínia é casada... com o pastor da cidade. Achou pouco? Digamos que ela é a mulher mais complexa e completa já escrita. Uma hora a bela, recatada, e do lar, outrora... só lendo para saber. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
    Com uma escrita poética, e com uma narrativa não-linear (pois o Cauby alterna entre passado e presente, a narrativa não é cronológica, e sim psicológica). Marçal Aquino trará o amor na sua forma mais verdadeira e trágica. Com elementos que tornam a narrativa ainda mais interessante e complexa, como um brilhante filósofo especialista no amor que o Cauby tanto menciona (criado pelo próprio autor). ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
    📖 "Queremos o que não podemos ter, diz o professor Schianberg, o mais obscuro dos filósofos do amor. É normal, saudável. O que diferencia uma pessoa de outra, ele acrescenta, é o quanto cada um quer o que não pode ter."
    ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
    Vale ressaltar que paralela a história dos nossos protagonistas teremos narrativas importantes sendo desenvolvidas, com personagens típicos de interior, que muitas vezes baseiam suas ações em nome do amor (não disse ao quê rs).
    ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
    Um dos livros mais bem escritos e geniais que eu li, Marçal tem umas sacadas e umas situações tão irônicas que não me deixou outra opção a não ser dar 5 estrelas. E lembre-se: toda história tem dois lados.
    ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
    ⚠ O livro contém cenas de sexo explícitas, violência, consumo de drogas, e alguns gatilhos, como abusos sexuais.
  • 306 36 25 September, 2018
  • O título “O peso do pássaro morto” tem uma conotação sombria: ele funciona como uma metáfora para o peso de perdas cujas feridas o tempo não é capaz de curar.

Inspirada tanto pelo poema “A arte de perder”, de Elizabeth Bishop, como também pelo romance “Aos 7 e aos 40”, de João Anzanello Carrascoza, Aline Bei apresenta ao leitor a história de uma mulher sem nome, narrando a sua vida desde os 8 anos até os 52. Uma vida marcada pelas perdas e interrupções: a morte de entes queridos, a violência sexual, a maternidade indesejada, o isolamento. O que mais impressiona é a habilidade com que Bei vai transformando a voz da personagem a medida em que o tempo passa, indo da uma menina que sonha um dia trabalhar como aeromoça ("e nunca mais nenhum idiota do colégio vai mexer comigo. estarei nas nuvens, não vou ouvir") até a mulher deprimida, devastada por um sentimento de culpa, cada vez mais resignada com o seu destino e sua solidão. O mais tocante é que a história da protagonista poderia ser a história de qualquer uma de nós.

Dona de um estilo original, que mistura elementos da prosa e da poesia, distribuindo as palavras pelas páginas como forma de conferir um ritmo próprio à narrativa, Aline Bei surge como um dos nomes mais promissores da literatura contemporânea brasileira.

Fiz uma entrevista com a autora recentemente, que ficou bem bonita. 💕 Está na fila, aguardando publicação. #alinebei #leiamulheres #editoranos #seloedith #editorasindependentes #opesodopassaromorto #perdas #livros #literatura #leituras2018 #leituras #literaturabrasileira #literaturacontemporanea #leitores #bookgram #amoler
  • O título “O peso do pássaro morto” tem uma conotação sombria: ele funciona como uma metáfora para o peso de perdas cujas feridas o tempo não é capaz de curar.

    Inspirada tanto pelo poema “A arte de perder”, de Elizabeth Bishop, como também pelo romance “Aos 7 e aos 40”, de João Anzanello Carrascoza, Aline Bei apresenta ao leitor a história de uma mulher sem nome, narrando a sua vida desde os 8 anos até os 52. Uma vida marcada pelas perdas e interrupções: a morte de entes queridos, a violência sexual, a maternidade indesejada, o isolamento. O que mais impressiona é a habilidade com que Bei vai transformando a voz da personagem a medida em que o tempo passa, indo da uma menina que sonha um dia trabalhar como aeromoça ("e nunca mais nenhum idiota do colégio vai mexer comigo. estarei nas nuvens, não vou ouvir") até a mulher deprimida, devastada por um sentimento de culpa, cada vez mais resignada com o seu destino e sua solidão. O mais tocante é que a história da protagonista poderia ser a história de qualquer uma de nós.

    Dona de um estilo original, que mistura elementos da prosa e da poesia, distribuindo as palavras pelas páginas como forma de conferir um ritmo próprio à narrativa, Aline Bei surge como um dos nomes mais promissores da literatura contemporânea brasileira.

    Fiz uma entrevista com a autora recentemente, que ficou bem bonita. 💕 Está na fila, aguardando publicação. #alinebei #leiamulheres #editoranos #seloedith #editorasindependentes #opesodopassaromorto #perdas #livros #literatura #leituras2018 #leituras #literaturabrasileira #literaturacontemporanea #leitores #bookgram #amoler
  • 201 25 1 August, 2018
  • RESENHA DE EXTRAORDINÁRIO, de R.J PALACIO (@intrinseca ).
___
Se chorei ou se sorri, o importante é que emoções eu vivi (Roberto Carlos). Lágrimas escorreram pelo meu rosto e escorrerão também dos seus. August, ou Auggie, era uma criança sem nenhuma necessidade especial; contudo, esteticamente havia nascido com uma raríssima (1:4.000.000) mutação gênica, que lhe conferia uma aparência diferente (ogro, zumbi, até freddie Krueger, nomes a ele atribuídos).
___
Vivia harmoniosamente com seus pais  Isabel e Nate e sua irmã Olivia (Via), além da cadelinha Dayse. A partir do quinto ano, seus pais decidiram mandá-lo à escola (antes ele aprendia com a mãe), e você vai começar a acompanhar o cotidiano do nosso Auggie, que estará em uma jornada de aceitação de sua condição e de adaptação. O diretor da escola o Sr. BUZANFA tem uma atitude que deve ser imitada pelos demais, no mundo todo, com pessoas como o Auggie, ou mesmo com deficiências.
___
Esse livro tem um diferencial, ele é contado na perspectiva de várias pessoas sobre um mesmo evento. Mostra o quanto pode ser difícil para os familiares de alguém com o problema de August lidar com a condição, o quanto pode ser desafiador para uma irmã em uma nova escola falar sobre o caso, o quanto pode ser difícil para as pessoas mais abertas fingirem uma reação ao o virem pela primeira vez, quase como se fosse no automático. E ainda uma cadelinha fofa, Deyse, que o ama incondicionalmente, que não vê nele defeitos, só o amor que dele recebe, e que esfrega-se no seu rosto, cicatrizado pelas inúmeras cirurgias, como ninguém, já que o que a maioria de seus colegas faz é evitar, ao máximo, tocá-lo.
___
Contudo, será que o coração do nosso jovem, o bom humor herdado do pai, vai mudar a visão que eles têm dele?! Por que tudo na vida é tão estético e tão pouco sentimento, inteligência, lealdade? Entrar na mente de cada um dos narradores dessa história nos fará entender como cada pessoa lidou com o fato de forma diferente e todos os aprendizados que advieram disso. Não deixe de ler essa obra fantástica!
___
"Talvez seja uma loteria, mas o universo deixa tudo certo no final. O universo cuida de todos os seus pássaros. (Justin)
  • RESENHA DE EXTRAORDINÁRIO, de R.J PALACIO (@intrinseca ).
    ___
    Se chorei ou se sorri, o importante é que emoções eu vivi (Roberto Carlos). Lágrimas escorreram pelo meu rosto e escorrerão também dos seus. August, ou Auggie, era uma criança sem nenhuma necessidade especial; contudo, esteticamente havia nascido com uma raríssima (1:4.000.000) mutação gênica, que lhe conferia uma aparência diferente (ogro, zumbi, até freddie Krueger, nomes a ele atribuídos).
    ___
    Vivia harmoniosamente com seus pais Isabel e Nate e sua irmã Olivia (Via), além da cadelinha Dayse. A partir do quinto ano, seus pais decidiram mandá-lo à escola (antes ele aprendia com a mãe), e você vai começar a acompanhar o cotidiano do nosso Auggie, que estará em uma jornada de aceitação de sua condição e de adaptação. O diretor da escola o Sr. BUZANFA tem uma atitude que deve ser imitada pelos demais, no mundo todo, com pessoas como o Auggie, ou mesmo com deficiências.
    ___
    Esse livro tem um diferencial, ele é contado na perspectiva de várias pessoas sobre um mesmo evento. Mostra o quanto pode ser difícil para os familiares de alguém com o problema de August lidar com a condição, o quanto pode ser desafiador para uma irmã em uma nova escola falar sobre o caso, o quanto pode ser difícil para as pessoas mais abertas fingirem uma reação ao o virem pela primeira vez, quase como se fosse no automático. E ainda uma cadelinha fofa, Deyse, que o ama incondicionalmente, que não vê nele defeitos, só o amor que dele recebe, e que esfrega-se no seu rosto, cicatrizado pelas inúmeras cirurgias, como ninguém, já que o que a maioria de seus colegas faz é evitar, ao máximo, tocá-lo.
    ___
    Contudo, será que o coração do nosso jovem, o bom humor herdado do pai, vai mudar a visão que eles têm dele?! Por que tudo na vida é tão estético e tão pouco sentimento, inteligência, lealdade? Entrar na mente de cada um dos narradores dessa história nos fará entender como cada pessoa lidou com o fato de forma diferente e todos os aprendizados que advieram disso. Não deixe de ler essa obra fantástica!
    ___
    "Talvez seja uma loteria, mas o universo deixa tudo certo no final. O universo cuida de todos os seus pássaros. (Justin)
  • 321 60 28 December, 2018

Latest Instagram Posts

  • ¡Hola a todos ! Aquí tenemos, por fin, la reseña más esperada de todo enero Operación 3.o. Actualízate o muere en el intento Una novela estupenda de @estelaencantada  que además es autora también de La chispa adecuada😊💜 -
-
Cambiar de década nunca es fácil y lo es aún menos cuando esto supone un cambio total de paradigma vital. Operación 3.0 nos cuenta la historia de Sabina, una chica que va a cumplir dentro de poco los treinta y que ante la inminente boda de su mejor amiga, Inés, empieza a concienciarse de que necesita un cambio en su vida. Su trabajo no le gusta, vive en un piso compartido y su pasión siempre queda aparcada «porque nunca es el momento». Su vida es un desastre, así que una noche decide soltarse la melena y ante la proposición indecente de un chico que no está nada mal, no duda y se va con él. Él es Juan, un chico un poco neurótico, maniático del orden y dormilón como él solo. Hace un tiempo que ha roto con su novia de siempre, Blanca, y cruzarse con Sabina supone todo un reto, pero no sabe qué tiene la pelirroja que lo vuelve loco. ¿Conseguirá Sabina ordenarse?, ¿conseguirá Juan a la pelirroja? 📚📚
-
-
El Libro en el Bolsillo: http://ellibroenelbolsillo.blogspot.com/2019/01/un-giro-de-un-minuto-operacion-30.html
-
#operacion30 #autopublicados #literaturacontemporanea #autoras #instabook #bookstagramer  #bookstagram #bookstagramespaña #allaboutbooks #loveforbooks #bookaddict #blogger  #bibliolover #booksnifer -
-
Recordad en el blog encontraréis ideas sobre #comics, #videojuegos y #libros. ✒📚 Reseñas, reflexiones y las peticiones que me hagáis sobre narrativa de #ahora, de #antes y del #futuro Aquí os dejo el link por si queréis echarle un vistazo https://ellibroenelbolsillo.blogspot.com/
  • ¡Hola a todos ! Aquí tenemos, por fin, la reseña más esperada de todo enero Operación 3.o. Actualízate o muere en el intento Una novela estupenda de @estelaencantada  que además es autora también de La chispa adecuada😊💜 -
    -
    Cambiar de década nunca es fácil y lo es aún menos cuando esto supone un cambio total de paradigma vital. Operación 3.0 nos cuenta la historia de Sabina, una chica que va a cumplir dentro de poco los treinta y que ante la inminente boda de su mejor amiga, Inés, empieza a concienciarse de que necesita un cambio en su vida. Su trabajo no le gusta, vive en un piso compartido y su pasión siempre queda aparcada «porque nunca es el momento». Su vida es un desastre, así que una noche decide soltarse la melena y ante la proposición indecente de un chico que no está nada mal, no duda y se va con él. Él es Juan, un chico un poco neurótico, maniático del orden y dormilón como él solo. Hace un tiempo que ha roto con su novia de siempre, Blanca, y cruzarse con Sabina supone todo un reto, pero no sabe qué tiene la pelirroja que lo vuelve loco. ¿Conseguirá Sabina ordenarse?, ¿conseguirá Juan a la pelirroja? 📚📚
    -
    -
    El Libro en el Bolsillo: http://ellibroenelbolsillo.blogspot.com/2019/01/un-giro-de-un-minuto-operacion-30.html
    -
    #operacion30 #autopublicados #literaturacontemporanea #autoras   #instabook   #bookstagramer    #bookstagram   #bookstagramespaña #allaboutbooks   #loveforbooks #bookaddict #blogger    #bibliolover   #booksnifer -
    -
    Recordad en el blog encontraréis ideas sobre  #comics#videojuegos  y  #libros . ✒📚 Reseñas, reflexiones y las peticiones que me hagáis sobre narrativa de  #ahora , de  #antes  y del  #futuro  Aquí os dejo el link por si queréis echarle un vistazo https://ellibroenelbolsillo.blogspot.com/
  • 15 2 2 hours ago
  • Recebi do querido Marcos Severo @marcosevero81 seu três livros de contos.
.
Todos foram publicados pela @editoramoinhos e ja me conquistaram pelos titulos! Olha só:
.
- Todo Naufrágio é também um Lugar de Chegada
- Cada Forma de Ausência é o Retrato de uma Solidão
- Coisas que Acontecem se Você estiver Vivo
.
Ano passado o autor esteve aqui em Brasilia e conseguimos nos encontrar. Marco é professor formado em Letras pela Universidade Federal do Ceará. Tem contos publicados no Brasil e no exterior. E é meu amigo ❤.
.
Bora ler nossos escritores nacionais contemporâneos, galera! Tem muita coisa boa legal por ai! Você só precisa dar uma chance 😉❤.
.
#lidolendo #euamoler #isavichi #livros #books #instalivros #instabooks #leitura #literatura #literaturanacional #literaturacontemporanea #marcosevero
  • Recebi do querido Marcos Severo @marcosevero81 seu três livros de contos.
    .
    Todos foram publicados pela @editoramoinhos e ja me conquistaram pelos titulos! Olha só:
    .
    - Todo Naufrágio é também um Lugar de Chegada
    - Cada Forma de Ausência é o Retrato de uma Solidão
    - Coisas que Acontecem se Você estiver Vivo
    .
    Ano passado o autor esteve aqui em Brasilia e conseguimos nos encontrar. Marco é professor formado em Letras pela Universidade Federal do Ceará. Tem contos publicados no Brasil e no exterior. E é meu amigo ❤.
    .
    Bora ler nossos escritores nacionais contemporâneos, galera! Tem muita coisa boa legal por ai! Você só precisa dar uma chance 😉❤.
    .
    #lidolendo #euamoler #isavichi #livros #books #instalivros #instabooks #leitura #literatura #literaturanacional #literaturacontemporanea #marcosevero
  • 273 6 4 hours ago
  • #Repost @asleitoras with @get_repost
・・・
Meu ano de leituras começou já me arrasando. O dia primeiro de janeiro acabou e eu estava no chão com O peso do pássaro morto da Aline Bei (@alinebei)

Ao longo do ano passado já tinha visto várias resenhas e esse livro já estava no meu radar. Então não pude perder a oportunidade de pegar emprestado com uma amiga.

Nessa história a gente acompanha a vida de uma mulher, dos 8 até os 52 anos. É narrado em primeira pessoa, parece que estamos lendo seus diários. E a autora vai mostrando o crescimento da personagem também através das mudanças na sua forma de escrever. As primeiras páginas são bem mais ingênuas e a medida que a vida vai passando, vai ficando tudo mais cru.

A personagem não tem nome. A história dela pode ser a história de vida de qualquer mulher, pode ser alguém que você conheça. Pode ser você.

A escrita é muito poética ao longo de todo o livro. É como se fossem poemas que nos contam uma história. E a leitura flui bem, terminei em apenas um dia.

Mas é uma história pesada, que fala de perda, luto, sofrimento, joga na nossa cara que nada é para sempre. Mas também mostra superação, resistência e aprendizados. Mostra que aquilo que menos esperamos pode ser o que vai mudar a vida para melhor.

Foi uma experiência intensa. E acho que até hoje ainda estou presa a essa leitura. Vira e mexe me pego pensando nela.

Recomendo fortemente a todos! Ah, ele está disponível no Kindle unlimited também.

E aí, quem já teve a oportunidade de ler? Ficaram com vontade de ler?

#opesodopassaromorto
#alinebei #literaturabrasileira
#leiamaisnacionais #autorasnacionais #literaturacontemporanea #literaturabrasileiracontemporanea #instagramliterario #welovebooks #booksandbooks ~Tainá
  • #Repost @asleitoras with @get_repost
    ・・・
    Meu ano de leituras começou já me arrasando. O dia primeiro de janeiro acabou e eu estava no chão com O peso do pássaro morto da Aline Bei (@alinebei)

    Ao longo do ano passado já tinha visto várias resenhas e esse livro já estava no meu radar. Então não pude perder a oportunidade de pegar emprestado com uma amiga.

    Nessa história a gente acompanha a vida de uma mulher, dos 8 até os 52 anos. É narrado em primeira pessoa, parece que estamos lendo seus diários. E a autora vai mostrando o crescimento da personagem também através das mudanças na sua forma de escrever. As primeiras páginas são bem mais ingênuas e a medida que a vida vai passando, vai ficando tudo mais cru.

    A personagem não tem nome. A história dela pode ser a história de vida de qualquer mulher, pode ser alguém que você conheça. Pode ser você.

    A escrita é muito poética ao longo de todo o livro. É como se fossem poemas que nos contam uma história. E a leitura flui bem, terminei em apenas um dia.

    Mas é uma história pesada, que fala de perda, luto, sofrimento, joga na nossa cara que nada é para sempre. Mas também mostra superação, resistência e aprendizados. Mostra que aquilo que menos esperamos pode ser o que vai mudar a vida para melhor.

    Foi uma experiência intensa. E acho que até hoje ainda estou presa a essa leitura. Vira e mexe me pego pensando nela.

    Recomendo fortemente a todos! Ah, ele está disponível no Kindle unlimited também.

    E aí, quem já teve a oportunidade de ler? Ficaram com vontade de ler?

    #opesodopassaromorto
    #alinebei #literaturabrasileira
    #leiamaisnacionais #autorasnacionais #literaturacontemporanea #literaturabrasileiracontemporanea #instagramliterario #welovebooks #booksandbooks ~Tainá
  • 86 2 17 hours ago
  • Meu ano de leituras começou já me arrasando. O dia primeiro de janeiro acabou e eu estava no chão com O peso do pássaro morto da Aline Bei (@alinebei)

Ao longo do ano passado já tinha visto várias resenhas e esse livro já estava no meu radar. Então não pude perder a oportunidade de pegar emprestado com uma amiga.

Nessa história a gente acompanha a vida de uma mulher, dos 8 até os 52 anos. É narrado em primeira pessoa, parece que estamos lendo seus diários. E a autora vai mostrando o crescimento da personagem também através das mudanças na sua forma de escrever. As primeiras páginas são bem mais ingênuas e a medida que a vida vai passando, vai ficando tudo mais cru.

A personagem não tem nome. A história dela pode ser a história de vida de qualquer mulher, pode ser alguém que você conheça. Pode ser você.

A escrita é muito poética ao longo de todo o livro. É como se fossem poemas que nos contam uma história. E a leitura flui bem, terminei em apenas um dia.

Mas é uma história pesada, que fala de perda, luto, sofrimento, joga na nossa cara que nada é para sempre. Mas também mostra superação, resistência e aprendizados. Mostra que aquilo que menos esperamos pode ser o que vai mudar a vida para melhor.

Foi uma experiência intensa. E acho que até hoje ainda estou presa a essa leitura. Vira e mexe me pego pensando nela.

Recomendo fortemente a todos! Ah, ele está disponível no Kindle unlimited também.

E aí, quem já teve a oportunidade de ler? Ficaram com vontade de ler?

#opesodopassaromorto
#alinebei #literaturabrasileira
#leiamaisnacionais #autorasnacionais #literaturacontemporanea #literaturabrasileiracontemporanea #instagramliterario #welovebooks #booksandbooks ~Tainá
  • Meu ano de leituras começou já me arrasando. O dia primeiro de janeiro acabou e eu estava no chão com O peso do pássaro morto da Aline Bei (@alinebei)

    Ao longo do ano passado já tinha visto várias resenhas e esse livro já estava no meu radar. Então não pude perder a oportunidade de pegar emprestado com uma amiga.

    Nessa história a gente acompanha a vida de uma mulher, dos 8 até os 52 anos. É narrado em primeira pessoa, parece que estamos lendo seus diários. E a autora vai mostrando o crescimento da personagem também através das mudanças na sua forma de escrever. As primeiras páginas são bem mais ingênuas e a medida que a vida vai passando, vai ficando tudo mais cru.

    A personagem não tem nome. A história dela pode ser a história de vida de qualquer mulher, pode ser alguém que você conheça. Pode ser você.

    A escrita é muito poética ao longo de todo o livro. É como se fossem poemas que nos contam uma história. E a leitura flui bem, terminei em apenas um dia.

    Mas é uma história pesada, que fala de perda, luto, sofrimento, joga na nossa cara que nada é para sempre. Mas também mostra superação, resistência e aprendizados. Mostra que aquilo que menos esperamos pode ser o que vai mudar a vida para melhor.

    Foi uma experiência intensa. E acho que até hoje ainda estou presa a essa leitura. Vira e mexe me pego pensando nela.

    Recomendo fortemente a todos! Ah, ele está disponível no Kindle unlimited também.

    E aí, quem já teve a oportunidade de ler? Ficaram com vontade de ler?

    #opesodopassaromorto
    #alinebei #literaturabrasileira
    #leiamaisnacionais #autorasnacionais #literaturacontemporanea #literaturabrasileiracontemporanea #instagramliterario #welovebooks #booksandbooks ~Tainá
  • 594 7 17 hours ago
  • Ainda Estou Aqui - Marcelo Rubens Paiva

Da doença que deixa de ser individual, um Alzheimer, uma doença do esquecimento. Que me percebo inserido numa coletividade que tem essa doença quando se trata da Ditadura. Notamos discursos tentando apaziguar os horrores, censuras e mortes físicas e simbólicas. .
Logo, como discorre Derrida, interpretando o Fedro do Platão, no seu livro A Farmácia de Platão, "o logos escrito é apenas um meio, para aquele que já sabem de rememorar" (p.85). Assim, me percebo relembrando, refletindo e sentindo as dores desse período Militar pelo olhar do Rubens e sua família  com um pai morto político, sem um corpo. Desaparecido.
.
Mas, nem tudo são flores... Às vezes me sentia incomodado com o narrador branco e rico que mesmo no caos interno e externo traz uma futilidade.
.
Recomendo para tempos sombrios. Para saber mais o que muito não aprenderam na disciplina de História. Para romper a aura de beleza que os discurso atuais de de direita trazem sobre esse período.

#libros #livros #libro #livro #book #books #literatura #literature #literaturacontemporanea #literaturaeditadura #editoraalfguara
  • Ainda Estou Aqui - Marcelo Rubens Paiva

    Da doença que deixa de ser individual, um Alzheimer, uma doença do esquecimento. Que me percebo inserido numa coletividade que tem essa doença quando se trata da Ditadura. Notamos discursos tentando apaziguar os horrores, censuras e mortes físicas e simbólicas. .
    Logo, como discorre Derrida, interpretando o Fedro do Platão, no seu livro A Farmácia de Platão, "o logos escrito é apenas um meio, para aquele que já sabem de rememorar" (p.85). Assim, me percebo relembrando, refletindo e sentindo as dores desse período Militar pelo olhar do Rubens e sua família com um pai morto político, sem um corpo. Desaparecido.
    .
    Mas, nem tudo são flores... Às vezes me sentia incomodado com o narrador branco e rico que mesmo no caos interno e externo traz uma futilidade.
    .
    Recomendo para tempos sombrios. Para saber mais o que muito não aprenderam na disciplina de História. Para romper a aura de beleza que os discurso atuais de de direita trazem sobre esse período.

    #libros #livros #libro #livro #book #books #literatura #literature #literaturacontemporanea #literaturaeditadura #editoraalfguara
  • 42 3 17 hours ago
  • Livro 05/2019: A Vegetariana de Han Kang. Esse é um livro marcante, com certeza. A protagonista decide que não vai mais comer carnes, causando surpresa e estranhamento para os seus familiares - acostumados com a mulher sempre fazendo as coisas conforme planejado e ocupando apenas os espaços permitidos pela sociedade. Seu corpo era pra ser suas regras, porém as pessoas não conseguem respeitar as vontades dela e sua vida vira um inferno de uma luta por autonomia contra os costumes. A escritora sul-coreana utiliza de algo como uma espécie de realismo fantástico para criticar a sociedade em que vive - ressuscitando um pouco esse gênero tão latino, porém visto hoje com certo preconceito como algo datado por aqui (nessa mania de se pautar sempre pela cultura norte-americana). Gostei bastante do livro e tenho certeza que pensarei ainda muito sobre seus temas e conflitos. Leitura do mês do Clube @viajonolivro
  • Livro 05/2019: A Vegetariana de Han Kang. Esse é um livro marcante, com certeza. A protagonista decide que não vai mais comer carnes, causando surpresa e estranhamento para os seus familiares - acostumados com a mulher sempre fazendo as coisas conforme planejado e ocupando apenas os espaços permitidos pela sociedade. Seu corpo era pra ser suas regras, porém as pessoas não conseguem respeitar as vontades dela e sua vida vira um inferno de uma luta por autonomia contra os costumes. A escritora sul-coreana utiliza de algo como uma espécie de realismo fantástico para criticar a sociedade em que vive - ressuscitando um pouco esse gênero tão latino, porém visto hoje com certo preconceito como algo datado por aqui (nessa mania de se pautar sempre pela cultura norte-americana). Gostei bastante do livro e tenho certeza que pensarei ainda muito sobre seus temas e conflitos. Leitura do mês do Clube @viajonolivro
  • 78 12 22 hours ago
  • a máquina de fazer espanhóis - valter hugo mãe.
"preparem-se sofredores do mundo, o tempo não é linear. o tempo vicia-se em ciclos que obedecem a lógicas distintas e que se vão sucedendo uns aos outros repondo o sofredor, e qualquer outro indivíduo, novamente num certo ponto de partida. é fácil de entender. quando queremos que o tempo nos faça fugir de alguma coisa, de um acontecimento, inicialmente contamos os dias, as vezes até as horas, e depois chegam as semanas triunfais e os largos meses e depois os didácticos anos. mas para chegarmos aí temos de sentir o tempo também de outro modo. perdemos alguém, e temos de superar o primeiro inverno sós, e a primeira primavera e depois o primeiro verão, e o primeiro outono. é dentro disso, é preciso que superemos nossos aniversários, tudo quanto da direito a parabéns a você, as datas da relação, o natal, a mudança dos anos, até a época dos morangos, o magusto, as chuvas de molhar tolos, o primeiro passo de um neto, o regresso de um satélite a terra, a queda de mais um avião, as notícias sobre o brasil, enfim, tudo. e também é preciso superar a primeira saída de carro a sós. o primeiro telefonema que não pode ser feito para aquela pessoa. a primeira viagem que fazemos sem a sua companhia. os lençóis que mudamos pela primeira vez. as janelas que abrimos. a sopa que preparamos para comermos sem mais ninguém. o telejornal que já não comentamos. um livro que se lê em absoluto silêncio. o tempo guarda cápsulas indestrutíveis porque, por mais dias que se sucedam, sempre chegamos a um ponto onde voltamos atrás, a um início qualquer, para fazer pela primeira vez alguma coisa que nos vai dilacerar impiedosamente porque nessa cápsula se injecta também a nitidez do quanto amávamos quem perdemos, a nitidez do seu rosto, que por vezes se perde mas ressurge sempre nessas alturas, até o timbre da sua voz, chamando nosso nome ou, mas cruel ainda, dizendo que nos ama com um riso incrível pelo qual nós havíamos justificado em mil ocasiões no mundo." (p. 118-119)

#valterhugomae #amaquinadefazerespanhois #bibliotecaazul #cosacnaify #literaturacontemporanea #literaturaportuguesa
  • a máquina de fazer espanhóis - valter hugo mãe.
    "preparem-se sofredores do mundo, o tempo não é linear. o tempo vicia-se em ciclos que obedecem a lógicas distintas e que se vão sucedendo uns aos outros repondo o sofredor, e qualquer outro indivíduo, novamente num certo ponto de partida. é fácil de entender. quando queremos que o tempo nos faça fugir de alguma coisa, de um acontecimento, inicialmente contamos os dias, as vezes até as horas, e depois chegam as semanas triunfais e os largos meses e depois os didácticos anos. mas para chegarmos aí temos de sentir o tempo também de outro modo. perdemos alguém, e temos de superar o primeiro inverno sós, e a primeira primavera e depois o primeiro verão, e o primeiro outono. é dentro disso, é preciso que superemos nossos aniversários, tudo quanto da direito a parabéns a você, as datas da relação, o natal, a mudança dos anos, até a época dos morangos, o magusto, as chuvas de molhar tolos, o primeiro passo de um neto, o regresso de um satélite a terra, a queda de mais um avião, as notícias sobre o brasil, enfim, tudo. e também é preciso superar a primeira saída de carro a sós. o primeiro telefonema que não pode ser feito para aquela pessoa. a primeira viagem que fazemos sem a sua companhia. os lençóis que mudamos pela primeira vez. as janelas que abrimos. a sopa que preparamos para comermos sem mais ninguém. o telejornal que já não comentamos. um livro que se lê em absoluto silêncio. o tempo guarda cápsulas indestrutíveis porque, por mais dias que se sucedam, sempre chegamos a um ponto onde voltamos atrás, a um início qualquer, para fazer pela primeira vez alguma coisa que nos vai dilacerar impiedosamente porque nessa cápsula se injecta também a nitidez do quanto amávamos quem perdemos, a nitidez do seu rosto, que por vezes se perde mas ressurge sempre nessas alturas, até o timbre da sua voz, chamando nosso nome ou, mas cruel ainda, dizendo que nos ama com um riso incrível pelo qual nós havíamos justificado em mil ocasiões no mundo." (p. 118-119)

    #valterhugomae #amaquinadefazerespanhois #bibliotecaazul #cosacnaify #literaturacontemporanea #literaturaportuguesa
  • 29 0 20 January, 2019
  • Nossos férias acabaram e retornamos com muita poesia e um evento sensacional que vai rolar dia 27/01 em Apucarana (se liguem nas informações nos stories)! E uma poetisa já conhecida por nós vem alegrar essa noite de domingo e dar início aos nossos trabalhos poéticos e literários de 2019! 💖
  • Nossos férias acabaram e retornamos com muita poesia e um evento sensacional que vai rolar dia 27/01 em Apucarana (se liguem nas informações nos stories)! E uma poetisa já conhecida por nós vem alegrar essa noite de domingo e dar início aos nossos trabalhos poéticos e literários de 2019! 💖
  • 32 4 20 January, 2019
  • “Não basta ler. É preciso injetar o absurdo na veia, respirar o absurdo, sentar ao lado do absurdo no ônibus, morar no absurdo, transar com o absurdo, engravidar do absurdo, viver mergulhada no absurdo, ser o absurdo [...] lemos os livros com um olhar blasé de quem não se impressiona mais com nenhum malabarismo ou plot twist carpado que o Autor tente apresentar”. Aline discorrendo sobre a relação realidade x ficção nos dias atuais.

Logo na página inicial temos um “Modo de usar” do livro, segui as regras, mas confesso que, como sou rebelde, não li no sábado de manhã, mas sim na tarde de sábado (sorry! Aline), mas estava só, para ler sobre a solidão (tema do primeiro capítulo), mas nem tanto porque o celular estava do lado (é uma ilusão?), mas ele estava do lado para servir de apoio ao texto, interessante notar que é uma recomendação da autora, usar para pesquisar as indicações (originalmente hipertextos da newsletter da Aline), mas já é uma rotina de leitura desde que comecei a usar Smartphone, essas interações e referências dos textos me fascinam, enquanto isso, gooool da Alemanha.

Falando em interações, vou ser obrigado a separar o Estação Onze da Emily St. John Mandel, que está a um bom tempo na estante aguardando leitura (culpa da Aline). Respondendo a “uma proposta”: obrigado por proporcionar uma excelente tarde de sábado @alinevalek

Desci da árvore junto com você também e me emocionei, agora precisamos arrumar os problemas que “descer da árvore” resultaram. #alinevalek
#bobagensimperdíveis
#literaturacontemporanea #bookshelves #booksgram #bookaholics #biblioativismo
  • “Não basta ler. É preciso injetar o absurdo na veia, respirar o absurdo, sentar ao lado do absurdo no ônibus, morar no absurdo, transar com o absurdo, engravidar do absurdo, viver mergulhada no absurdo, ser o absurdo [...] lemos os livros com um olhar blasé de quem não se impressiona mais com nenhum malabarismo ou plot twist carpado que o Autor tente apresentar”. Aline discorrendo sobre a relação realidade x ficção nos dias atuais.

    Logo na página inicial temos um “Modo de usar” do livro, segui as regras, mas confesso que, como sou rebelde, não li no sábado de manhã, mas sim na tarde de sábado (sorry! Aline), mas estava só, para ler sobre a solidão (tema do primeiro capítulo), mas nem tanto porque o celular estava do lado (é uma ilusão?), mas ele estava do lado para servir de apoio ao texto, interessante notar que é uma recomendação da autora, usar para pesquisar as indicações (originalmente hipertextos da newsletter da Aline), mas já é uma rotina de leitura desde que comecei a usar Smartphone, essas interações e referências dos textos me fascinam, enquanto isso, gooool da Alemanha.

    Falando em interações, vou ser obrigado a separar o Estação Onze da Emily St. John Mandel, que está a um bom tempo na estante aguardando leitura (culpa da Aline). Respondendo a “uma proposta”: obrigado por proporcionar uma excelente tarde de sábado @alinevalek

    Desci da árvore junto com você também e me emocionei, agora precisamos arrumar os problemas que “descer da árvore” resultaram. #alinevalek
    #bobagensimperdíveis
    #literaturacontemporanea #bookshelves #booksgram #bookaholics #biblioativismo
  • 31 1 20 January, 2019
  • Terminé de leer esta novela y me dejó con un sentimiento raro. Desde que me presentaron este libro tuve ganas de leerlo, ya que el autor, Paolo Giordano, me llenó de curiosidad. Es físico teórico y con ésta, su primer novela, fue galardonado con varios premios en Italia y Europa, de los cuales destacan el Campiello Opera Prima y el Premio Strega 2008 (premio literario más importante en Italia). La novela tiene una narrativa ligera pero te atrapa desde el inicio, y hace notar la formación académica del autor en la forma en la que describe los escenarios en los que se desarrolla su historia. Una historia de vidas paralelas, con personajes complejos y a quienes rodea la soledad. “La Soledad de los Números Primos” te mantiene leyendo y llena de intriga de principio a fin. La recomiendo mucho. .
.
.
#books #paologiordano #lasoledaddelosnumerosprimos #salamandra #italia #literaturacontemporanea #europa #libros #bookworm #bookstagram #sundayreads #narrativa #oceano
  • Terminé de leer esta novela y me dejó con un sentimiento raro. Desde que me presentaron este libro tuve ganas de leerlo, ya que el autor, Paolo Giordano, me llenó de curiosidad. Es físico teórico y con ésta, su primer novela, fue galardonado con varios premios en Italia y Europa, de los cuales destacan el Campiello Opera Prima y el Premio Strega 2008 (premio literario más importante en Italia). La novela tiene una narrativa ligera pero te atrapa desde el inicio, y hace notar la formación académica del autor en la forma en la que describe los escenarios en los que se desarrolla su historia. Una historia de vidas paralelas, con personajes complejos y a quienes rodea la soledad. “La Soledad de los Números Primos” te mantiene leyendo y llena de intriga de principio a fin. La recomiendo mucho. .
    .
    .
    #books #paologiordano #lasoledaddelosnumerosprimos #salamandra #italia #literaturacontemporanea #europa #libros #bookworm #bookstagram #sundayreads #narrativa #oceano
  • 14 0 20 January, 2019
  • Aqui estamos para ainda falar de livros que foram lidos em 2018, sim!!!
Nesta coleção de 15 contos protagonizados em sua maioria pela mulher negra, Conceição Evaristo retrata uma significativa galeria de mulheres, em que embora diferentes  entre elas em idade e vivências compartilham da mesma vida dura e difícil, reféns da violência urbana, da exclusão e da pobreza que as acometem! Mulheres que mesmo vulneráveis são exemplos de garra, fibra e coragem, como Conceição diz em um destes contos são mulheres que aprenderam a "costurar a vida com fios de ferro". Olhos d'água ao meu ver é uma leitura além de necessária, urgente, para refletir sobre diferenças sociais, e sobretudo sobre privilégios, é daquelas leituras que nos tiram da nossa zona de conforto, nos abrem os olhos e nos tiram da nossa bolha! 
Leiam Conceição Evaristo para ontem! .
.
.
#Conceiçãoevaristo #literaturacontemporanea #autorasbrasileira #autorasnegras #leiamulheres #leiamulheresnegras #impressõesdeleituras #livrosnacionais
  • Aqui estamos para ainda falar de livros que foram lidos em 2018, sim!!!
    Nesta coleção de 15 contos protagonizados em sua maioria pela mulher negra, Conceição Evaristo retrata uma significativa galeria de mulheres, em que embora diferentes  entre elas em idade e vivências compartilham da mesma vida dura e difícil, reféns da violência urbana, da exclusão e da pobreza que as acometem! Mulheres que mesmo vulneráveis são exemplos de garra, fibra e coragem, como Conceição diz em um destes contos são mulheres que aprenderam a "costurar a vida com fios de ferro". Olhos d'água ao meu ver é uma leitura além de necessária, urgente, para refletir sobre diferenças sociais, e sobretudo sobre privilégios, é daquelas leituras que nos tiram da nossa zona de conforto, nos abrem os olhos e nos tiram da nossa bolha!
    Leiam Conceição Evaristo para ontem! .
    .
    .
    #Conceiçãoevaristo #literaturacontemporanea #autorasbrasileira #autorasnegras #leiamulheres #leiamulheresnegras #impressõesdeleituras #livrosnacionais
  • 85 4 20 January, 2019
  • De un calor emancipado, el rock&roll cuadriculado. #rocknroll Así como las mujeres en la vergüenza, así como los hombres en la tristeza por este lujoso pabellón, que se le llama mejor tierra 🌏 o, planeta, gracias a una serie de hechos nocivos con la perseverancia en el error e inteligencia despistada en la mancha que sucede cada día al otro día. Hemos sido educados #educados , gracias a Dios, en la veteranía, y en el cuarto oscuro de la benevolencia consentida nadam sólo unos peces. Unos los cogen, otros los ahogan. Unos los ahogan y otros los cogen, los cogen y los ahogan. Y es en ese instante de desistir de la terquedad conspicua y desfalcada cuando todo se produce, se pervierte incluso. Para algunos está hecho el rocanrol, para otros la demencia. Lo que se junta en ambos casos es lonque trataremos de definir más adelante, en un acato de poder y tiempo, que perpetua la soledad en su inclemencis tremebunda de un sistema que, y esto es único, solamente la mantiene. #rocanroll #roçanroll #rockabilly #rockandroll #rockstar #extremoduro #extremoduroquotes #literaturacontemporanea 
@_fidelalonsocruz @_fidelalonsocruz @_fidelalonsocruz @alonsocruzfidel @alonsocruzfidel
  • De un calor emancipado, el rock&roll cuadriculado. #rocknroll Así como las mujeres en la vergüenza, así como los hombres en la tristeza por este lujoso pabellón, que se le llama mejor tierra 🌏 o, planeta, gracias a una serie de hechos nocivos con la perseverancia en el error e inteligencia despistada en la mancha que sucede cada día al otro día. Hemos sido educados #educados , gracias a Dios, en la veteranía, y en el cuarto oscuro de la benevolencia consentida nadam sólo unos peces. Unos los cogen, otros los ahogan. Unos los ahogan y otros los cogen, los cogen y los ahogan. Y es en ese instante de desistir de la terquedad conspicua y desfalcada cuando todo se produce, se pervierte incluso. Para algunos está hecho el rocanrol, para otros la demencia. Lo que se junta en ambos casos es lonque trataremos de definir más adelante, en un acato de poder y tiempo, que perpetua la soledad en su inclemencis tremebunda de un sistema que, y esto es único, solamente la mantiene. #rocanroll #roçanroll #rockabilly #rockandroll #rockstar #extremoduro #extremoduroquotes #literaturacontemporanea
    @_fidelalonsocruz @_fidelalonsocruz @_fidelalonsocruz @alonsocruzfidel @alonsocruzfidel
  • 2 0 20 January, 2019
  • SE A RUA BEALE FALASSE - #jamesbaldwin - #ciadasletras - ⭐⭐⭐⭐⭐ - 03/2019
-
"Ele não era o preto de ninguém. E isso é um crime na porra deste país livre. Supõe-se que você seja o preto de alguém. E se você não for o preto de alguém, então você é um preto mau: e foi isso que os policiais decidiram quando o Fonny se mudou para downtown."
-
Tish e Fonny se amam e querem se casar. Tish e Fonny esperam um filho. Tish e Fonny tem esperanças, sonhos a realizar, projetos. Mas Tish e Fonny são negros. E, teimosamente, Tish e Fonny querem sair do gueto ao qual foram confinados. O problema é que Tish e Fonny continuam negros. E, quando você é o outro, pode ser muito difícil ser aceito. -
Injustamente acusado de estrupo, Fonny é preso por um policial racista e fica à mercê de um sistema que não é feito para todos. Baldwin se baseou na história verídica de um amigo injustamente acusada de homicídio, em 1967. E, outra vez, faz, do protesto, arte. E as personagens femininas....um caso à parte. Na hora que a corda aperta, sempre são elas roubando a cena.
-
O livro é de 1974, mas podia ser de 2019; se passa em NY, mas caberia muito bem em qualquer cidade brasileira. Em tempo, vale a pena ver o doc "Eu não sou seu negro", baseado em um livro inacabado do Baldwin; a série da Netflix "The Khalief Browder Story", um caso bem semelhante ao do livro; e, claro,  a adaptação do livro que já rendeu o Globo de Ouro à Regina King no papel da mãe do Fonny.
-
#sobrelivros
  • SE A RUA BEALE FALASSE - #jamesbaldwin - #ciadasletras - ⭐⭐⭐⭐⭐ - 03/2019
    -
    "Ele não era o preto de ninguém. E isso é um crime na porra deste país livre. Supõe-se que você seja o preto de alguém. E se você não for o preto de alguém, então você é um preto mau: e foi isso que os policiais decidiram quando o Fonny se mudou para downtown."
    -
    Tish e Fonny se amam e querem se casar. Tish e Fonny esperam um filho. Tish e Fonny tem esperanças, sonhos a realizar, projetos. Mas Tish e Fonny são negros. E, teimosamente, Tish e Fonny querem sair do gueto ao qual foram confinados. O problema é que Tish e Fonny continuam negros. E, quando você é o outro, pode ser muito difícil ser aceito. -
    Injustamente acusado de estrupo, Fonny é preso por um policial racista e fica à mercê de um sistema que não é feito para todos. Baldwin se baseou na história verídica de um amigo injustamente acusada de homicídio, em 1967. E, outra vez, faz, do protesto, arte. E as personagens femininas....um caso à parte. Na hora que a corda aperta, sempre são elas roubando a cena.
    -
    O livro é de 1974, mas podia ser de 2019; se passa em NY, mas caberia muito bem em qualquer cidade brasileira. Em tempo, vale a pena ver o doc "Eu não sou seu negro", baseado em um livro inacabado do Baldwin; a série da Netflix "The Khalief Browder Story", um caso bem semelhante ao do livro; e, claro, a adaptação do livro que já rendeu o Globo de Ouro à Regina King no papel da mãe do Fonny.
    -
    #sobrelivros
  • 253 10 20 January, 2019